Destaques

RN tem a menor letalidade por covid desde 2020; vacinação é a principal causa

TSE define tempo de propaganda eleitoral dos partidos

Processo contra Facebook pode obrigar venda do Instagram e WhatsApp

Imagem: Reprodução

O processo contra a Meta (ex-Facebook) que obriga a plataforma a vender o Instagram e o WhatsApp recebeu aval para prosseguir na Justiça. O juiz federal James Boasberg, que interrompeu a ação da Federal Trade Commission (FTC) por falta de provas, deu prosseguimento ao caso após a apresentação de novas “evidências robustas” pela agência antitruste dos Estados Unidos.

O processo contra o Facebook teve início em dezembro de 2020, quando a companhia foi acionada na Justiça dos EUA pela FTC e mais 46 procuradores-gerais de estados americanos — além dos distritos de Columbia e Guam — que colaboraram com a investigação antitruste sobre as aquisições de WhatsApp e Instagram. No documento, a agência reguladora exige que a Meta venda as duas plataformas adquiridas, caso seja vencida.

Mas, em junho, a FTC sofreu uma derrota. Relator do caso, Boasberg dispensou as primeiras queixas do órgão antitruste contra o Facebook por serem “legalmente insuficientes”. No mesmo dia em que a tramitação do processo foi interrompida, a companhia de Mark Zuckerberg atingiu o valor de mercado de US$ 1 trilhão.

TecnoBlog

Postado em 13 de janeiro de 2022

TikTok deixa Google para trás e se torna o site mais acessado de 2021; Confira o top 10

Imagem: Getty Images

O TikTok ultrapassou o Google e se tornou o site mais acessado do ano de 2021 em todo mundo, de acordo com o Cloudfare, que ranqueia o tráfego mundial dos sites.

Há algum tempo o top cinco se mantinha o mesmo, com Google, Facebook, Microsoft, Apple e Netflix, por algumas vezes a Amazon também troca de lugar com o streaming de séries e filmes.

No ano passado, o TikTok havia alçado o sétimo lugar, mas em 2021 a plataforma deu um grande passo e foi para o topo da lista. De acordo com o CloudFare, a rede social de vídeos sociais chegou no primeiro lugar pela primeira vez em 17 de fevereiro e se manteve na posição em alguns dias em março e voltou ao topo na maior parte de agosto.

Os concorrentes do TikTok em compensação, não tiveram seus melhores desempenhos. O YouTube alcançou o primeiro lugar duas vezes no ano, uma no dia de estreia de vários comerciais no Super Bowl e no dia do golpe em Myanmar.

O Facebook, por sua vez, ficou em terceiro lugar em todo o ano, descendo para quarto no dia da pane mundial que tirou a rede social e todas as suas ferramentas de funcionamento durante diversas horas.  O Instagram, que havia ocupado a nona colocação em 2020, neste ano não chegou ao top 10.

O Google ocupava o primeiro lugar há mais de uma década e ter sido desbancado por uma nova rede social é muito significativo. No entanto, cabe ao TikTok a difícil missão de se manter no topo da lista durante o próximo ano.

Confira a lista dos sites mais acessados de 2021:

TikTok

Google

Facebook

Microsoft

Apple

Amazon

Netflix

YouTube

Twiiter

WhatsApp

Olhar Digital

Postado em 22 de dezembro de 2021

Google apresenta novos recursos para oferecer suporte às notícias locais

O Google lançou novas ferramentas e recursos para leitores e repórteres para ajudar as organizações de notícias locais. O recurso de manchete é um carrossel que exibe as notícias locais em resposta a consultas de pesquisa, sendo lançado em todo o mundo e em todos os idiomas.

A plataforma disponibilizou inicialmente o recurso para fornecer informações locais para pesquisas sobre a Covid-19 e agora ele foi expandido para outros tópicos, como esportes e governo local.

O Google disse que está aprimorando os seus sistemas para que fontes de notícias locais relevantes e confiáveis ​​apareçam com mais frequência ao lado de publicações nacionais em notícias principais: “Essa melhoria garante que as pessoas verão histórias locais confiáveis ​​quando estiverem procurando notícias, ajudando a marca e o conteúdo dos editores de notícias a alcançar mais pessoas.”

Isso também é capaz de detalhar subtópicos estreitos relacionados a notícias locais, como futebol americano do ensino médio. Assim, combina com seus serviços de localização e deve obter resultados mais relevantes.

“Por exemplo, se você estiver em Detroit e pesquisar por futebol, agora mostraremos os resultados de times locais de colégios e faculdades, em vez de apenas mostrar os resultados de, digamos, o time profissional”, explicou o Google.

Junto com os novos recursos, o Google anunciou novas ferramentas de dados para repórteres. O primeiro é o projeto Census Mapper, que é um mapa que pode ser incorporado em histórias para exibir os dados do Censo em nível nacional, estadual e municipal.

Também é possível pode mostrar dados do Censo em nível local, como as populações mudaram ao longo do tempo. O Google está aprimorando seu Common Knowledge Project, que é um projeto de jornalismo visual que permite que repórteres explorem dados locais.

Além disso, os novos recursos podem ser um conforto para muitos jornais locais e sites que fecharam as portas, em parte devido ao fluxo de dólares de publicidade para empresas como Facebook e Google. Isso porque as empresa da tecnologia colocaram alguns fundos para apoiar o jornalismo local.

Fonte: Engadget

Postado em 17 de novembro de 2021